31 março 2012

Xandria

Xandria é uma banda da Alemanha, fundada em Bielefeld, em 1997. As músicas da banda combinam elementos de metal sinfônico e rock alternativo, o que dificulta definir exatamente a que gênero musical pertece. Depois de várias demos e de sucesso pela Internet, lançaram seu primeiro álbum em 2003, intitulado Kill the Sun. O álbum seguinte, Ravenheart de 2004, ficou por sete semanas em 36º lugar na paradas alemãs. Em 2005 a banda lança seu terceiro álbum India, o qual é mais voltado para o metal sinfônico. Em maio de 2008Lisa Middelhauve deixa a banda por motivos pessoais, deixando o Xandria em busca de uma nova vocalista. No dia 8 de Fevereiro de 2009, eles anunciaram Kerstin Bischof, conhecida pelas suas colaborações com a banda Axxis, como a nova voz da banda. Porém, esta deixou o posto por razões privadas e profissionais. A banda prometeu em seu site oficial o anúncio de uma substituta para Kerstin e em 20 de Dezembro de 2010, anuncia Manuela Kraller como a mais nova vocalista da banda.

História

A banda alemã Xandria foi formada em 1997 por Marco Heubaum. Com várias formações iniciais, Marco não conseguiu grande evolução com sua banda e somente no ano de 1999, juntamente com o baixista Roland Krueger e outros integrantes de sua antiga banda de metal, consegue gravar uma demo com cinco canções em um pequeno estúdio. Entre elas estavam "Kill the Sun", "Casablanca" e "So You Disappear".
No ano seguinte, a banda começa a ganhar enorme notoriedade após divulgar as cinco canções pela Internet. Assim, através de compartilhamento de arquivos, forma-se um grande número de fãs. Por conseqüência, Marco decide levar em frente seu projeto, nascendo verdadeiramente a banda Xandria. Ainda em 2000, além de Marco e Roland, integram-se à banda Lisa Schaphaus (vocais), Gerit (bateria) e Andreas Maske (guitarra).
Inicialmente era Marco que fazia os vocais e a voz de Lisa era usada apenas em algumas partes. Mas devido ao seu desempenho, Marco preferiu utilizar os vocais de Lisa integralmente, escrevendo as canções posteriores, já com esse intuito.
Em 2001, Xandria se torna famosa no cenário underground e faz seus primeiros concertos, para pequenos públicos. O guitarrista Andy Maske deixa a banda para se dedicar a seus estudos, já que a banda se preparava para um maior público e necessitava de muito tempo disponível. No seu lugar entra Philip Restemeier.
No ano seguinte, a banda começa a tocar em concertos maiores e a trabalhar duro em suas demos. A gravadora Drakkar Records mostra interesse na banda que vinha evoluindo desde 2000. Então, em dezembro de 2002, eles fecham o contrato para gravar o disco de debute, que seria intitulado Kill the Sun. O disco é gravado entre o final de 2002 e começo de 2003, e chega às lojas em maio. A faixa título do álbum emplaca como grande sucesso e entra do Top 100 alemão. O disco é bem diversificado contando com várias misturas de estilos.
Após o lançamento desse primeiro disco, o Xandria faz vários concertos, incluindo uma grande turnê que durou três semanas, formando cada vez mais, um grande número de fãs pela Alemanha. Após um período agitado e de muito trabalho, a banda volta ao estúdio no final do mesmo ano e, no começo de 2004, terminam de gravar seu segundo álbum, Ravenheart. Nessa época, o baixista Roland Krueger, deixa a banda alegando motivos profissionais. Em seu lugar, entra Nils Middelhauve, baixista que Lisa e Marco já conheciam, através de outros trabalhos.


O disco é lançado em maio e acaba sendo um sucesso maior ainda, ficando por sete semanas no Top 40 da Alemanha. Nesse trabalho a banda agregou elementos eletrônicos de maneira bem suave, mas não perdeu sua personalidade e a característica de agregar a melancolia ao peso do heavy metal. As faixas "Ravenheart" e "The Lioness", por exemplo, soam bem mais suaves do que o material apresentado no álbum anterior. As guitarras estão menos presentes, com maior destaque para os teclados e a voz de Lisa Schaphaus. O talento da banda, aliado à versátil voz de Lisa, acaba por gerar momentos muito interessantes, como a pesada "Five of Universe", a épica "Some Like It Cold" e as viajantes "My Scarlet Name" e "Too Close to Breathe". Petardos como "Snow-White" e "Black Flame" soam agressivos e cortantes, perfeitos para quem gosta da fusão metal gótico. Como bônus ainda existe o vídeo musical da faixa título, com um cenário medieval e uma grande produção cinematográfica.
Passando na "prova do segundo álbum", a banda é inserida de vez no cenário do metal gótico europeu. A banda sai em sua turnê de divulgação do álbum e chega a tocar para trinta mil pessoas no Busan International Rock Festival na Ásia, como grande destaque.
Em outubro, a banda lança o single "Eversleeping", com três novos sons, além do vídeo musical da faixa título, que fora gravado em um velho castelo perto de Berlim.
No mês seguinte, o Xandria viaja com as bandas finlandesas Entwine e Lab, e tocam em alguns concertos. Logo em seguida, em dezembro, começam a gravação do terceiro álbum, India. Assim a banda entra2005 com muitas ideias para terminar o novo álbum, produzido, assim como os anteriores, por Jose Alvarez-Brill. A banda ainda convida para participar da gravação, a orquestra alemã Deutsches Filmorchester Babelsberg, a mesma que junto a John Williams ganhou o Óscar de melhor trilha sonora em 2003, com o filme A Lista de Schindler, de Steven Spielberg. No meio desse ano, Lisa e Nils se casam, após um ano de namoro. Assim Lisa passa a ser Lisa Middelhauve.
India é lançado em agosto de 2005 e mantém a linha dos discos anteriores, agregando um forte ingrediente orquestral de muito peso. O álbum possui sons mais pesados e que se contrastam com os vocais operísticos de Lisa, como acontece em "Black Silver" e "The End of Every Story". Em compensação, há faixas onde o sentimentalismo fala mais alto, como na melódica e acústica "Dancer" ou em "Like A Rose on The Grave Of Love". Esse trabalho consolida a grande carreira da banda, consagrando-a no cenário mundial. A partir do dia 14 de Dezembro a banda entrou em estúdio novamente para gravar o quarto álbum.
Assim, o Xandria, com um misto de metalrockorquestras e melodias sombrias, bem dosados, tem feito aparições em grandes festivais, turnês mundiais e conquistado prêmios na cena musical alemã, se tornando uma das grandes referências em seu estilo.
Em 6 de Junho de 2008 foi publicada a retrospectiva Now & Forever - The Best Of Xandria, incluindo canções dos quatro álbuns de estúdio anteriores. Além disso, o tempo requerido pelos fãs com uma gravação de DVD ao vivo da Summer Breeze Show 2007 será realizada juntamente com muitos trechos da história da banda no pacote.



Membros


Ex-Membros



Discografia



Ravenheart (2004)






India (2005)


Salomé - The Seventh Veil (2007)










28 março 2012

Paradise Lost

Biografia

Paradise Lost se formou em Halifax, na Inglaterra, em 1988. Assinaram com a gravadora Peaceville Records logo após a gravação de sua primeira demo, lançando seu primeiro álbum, Lost Paradise, em fevereiro de 1990. Este, apesar da produção minimalista e a música baseada muito genericamente no death metal, teve boa repercussão, vendendo bem e sendo bastante elogiado em reviews.
Em março de 1991 lançaram seu segundo álbum, o Gothic. Esta gravação é bastante caracterizada pelo nome, não sendo necessário uma descrição detalhada. Pelo uso de passagens orquestradas, guitarras com afinação grave, vocais femininos tétricos ao fundo e solos negros, o Paradise Lost atingiu um som distinto, original.
Em 1992, a banda deixou a Peaceville Records e assinou um contrato de três anos com a Music For Nations, muito maior. Com Simon Efemey por novo produtor, entraram em estúdio para gravação de, segundo alguns, suas melhores 11 faixas. Em junho de 1992Shades of God foi lançado. O álbum apresentava ótimos riffs, paradas acústicas e letras num nível jamais alcançado por suas gravações anteriores. Shades of God lançou-os cada vez mais para longe do death metal, numa categoria que não havia ainda maneira de definir.


Após uma turnê de grande sucesso, a banda voltou diretamente para a Longhome Studios, com a mesma fórmula de Simon Efemey e desenhos de Dave McKean. O resultado foi o EP As I Die, lançado em Outubro de 1992, o mais aclamado no single of the Week da MTV européia, onde alcançou alta rotatividade, superior, inclusive, a um single do Metallica.
O quarto álbum, Icon, novamente com a produção de Simon Efemey, lançado em Junho de 1993, foi saudado como uma obra-prima do metal gótico e cimentou sua posição na cena metal corrente. Este trabalho também resultou no sepultamento definitivo da formação death metal da banda.
Outro EP na carreira da banda, Seals the Sense, foi a base dos shows da banda nos festivais do verão de 1994. Em meio a estes, a banda crescia a cada show, chegando a se apresentar para 70.000 fãs que gritavam no show Rock in the Ring, em NürnbergAlemanha. A banda continuou em grandes festivais por toda a Europa e terminou o verão com o lançamento de um vídeo em longa metragem com a Harmony Breaks, em Agosto.
No fim de 1994, o baterista Matt Archer saiu da banda para a entrada de Lee Morris. Sua saída foi justificada como "perda do interesse pela banda". Apesar da mudança na formação da banda, o novo bateristanão teve grande impacto na gravação do álbum seguinte, Draconian Times, pois a maior parte das músicas já haviam sido escritas e inclusive gravadas.
Neste álbum (Draconian Times, lançado em 1995), a composição das músicas melhorou dramaticamente. O álbum é cheio de melodias, ritmos pesados, bateria sólida, letras inspiradas e vocais impecáveis. Desde a primeira música, Enchantment, a banda cria um clima e provoca a imaginação.
Para apoiar o lançamento deste álbum, o Paradise Lost embarcou numa turnê a nível mundial, chegando à marca de um milhão de cópias vendidas, nunca antes atingida por uma banda do estilo.
O álbum seguinte, One Second (1997), causou certo alvoroço entre os fãs pela utilização de bateria eletrônica, ritmos inspirados no synthpop dos anos 80 e menos guitarra. Mas a banda cuidou para que as belas melodias contidas neste trabalho e as músicas atraíssem e mantivessem os antigos fãs e, assim, conquistassem alguns novos.
O Paradise Lost parecia ter chegado ao seu auge e em 1999 apareceu com um álbum que supreendeu os fans mais tradicionais. A influência do som gótico/synthpop dos anos 80 aumentou consideralvelmente, sendo o disco muito semelhante ao som da banda Depeche Mode. Clima atmosférico e a praticamente ausência de guitarras predominam no disco, o que causou estranheza de boa parte dos fans, acusando-os de selling-out.


No Ano de 2001 é lançado o Album "Believe in Nothing" - um álbum que passou meio despercebido na midia e também pelos fãs, pois depois do controverso "Host" , a banda tinha perdido parte de seus fãs e fama, o álbum em si é uma tentativa de voltar a sonoridade do passado , como mais peso e guitarras nas músicas, mas a mixagem acabou não agradando a banda pela perda de peso no resultado final , nessa turnê a banda chegou a tocar no festival wacken open air, sem muito alarde por parte da mídia, inclusive alguns membros da banda ignoram esse álbum hoje em dia. sendo ele um capítulo "obscuro" na vitoriosa carreira da banda.
A banda chega ao ano de 2002 com o álbum "Symbol of Life" que é muito bem recebido pela critica especializada, com um slogan "o verdadeiro successor de Draconian Times", a banda retorna com certo peso em suas composições, como na faixa "self-obssessed", desse álbum também nascem clássicos com: "erased" e "no celebration" e o Single "erased", mas também tivemos uma má noticia ao final da turnê.. o baterista "Lee Morris" integrante desde os tempos de "Draconian Times" resolve sair da banda, deixando seu posto vago para a entrada de Jeff Singer ( ex blaze)




Membros


Formação atual


Discografia


Demos

  • 1988 - Morbid Existence
  • 1988 - Paradise Lost
  • 1989 - Frozen Illusion
  • 1990 - Plains of Desolation


EPs


Álbuns de estúdio


Albuns ao vivo e coletaneas



25 março 2012

Anúncio da banda ÉPICA sobre a saída do baixista Yves

"É com tristeza que anunciamos que Yves Huts e Epica decidiram se separar. Yves tem estado conosco desde o início e tem sido de grande valor para a banda. Queremos agradecer ao Yves pela sua contribuição para o sucesso do Epica e lhe desejamos o melhor em sua carreira futura, seja musicalmente ou de uma maneira diferente. Nunca esqueceremos os bons momentos que compartilhamos juntos na estrada! "



"Olá a todos,
013 é o local onde fizemos nosso primeiro show com Epica . Eu estou deixando a banda porque eu tenho uma outra oportunidade de carreira que não pode ser combinada com o agendamento de uma banda em turnê mundial. Eu tentei viver essas duas vidas diferentes  enquanto eu podia, mas no final eu tive que fazer uma escolha, um das mais difíceis de minha vida. Eu olho para trás, para estes 10 anos de Epica, anos satisfatórios, enriquecedores e com  experiência de vida. Como membro fundador estou orgulhoso do que temos conseguido até agora e eu tenho certeza que o futuro terão coisas maiores para a banda.Gostaria de agradecer à banda, equipe técnica, torcedores e todos os outros envolvidos para os bons momentos.

Saudações Yves " 




A partir de agora que substituirá Yves será Rob van der Loo, baixistas das bandas MaYaN e Delain. Temos certeza de que Rob vai se encaixar perfeitamente como músico e como pessoa, e estamos ansiosos para dividir o palco pela primeira vez na próxima semana.



24 março 2012

Battlelore

Battlelore é uma banda finlandesa originária da cidade de Lappeenranta. Foi fundada em meados de 1999 pelo guitarrista Jyri Vahvanen e pelo baixista Miiki Kokkola. Uniram-se à banda os vocalistas Patrik MennanderTommi Havo e o baterista Gorthaur para a gravação da primeira demo, intitulada "Warrior's Tale", que não chegou a ser reconhecido.
Em 2000, Gorthaur é substituído por Henri Vahvanen e Tommi Havo passando a assumir também a guitarra. Lançaram outra demo, intitulada "Dark Fantasy", sendo considerada bem melhor que o lançamento anterior. A demo chegou a agradar a Napalm Records, que logo assinou um contrato com a banda.


Com um bom contrato, a vocalista Kaisa Jouki e a tecladista Maria são convidadas a entrar para banda e em 2002 lançam o elogiado "...Where Shadows Lies", seu primeiro CD oficial. O disco, com 10 faixas, sendo a última, uma faixa escondida. Destacam-se as faixas The Green Maiden e o hit The Grey Wizard. Todas as letras da banda tinham referência na obra O Senhor dos Anéis, do escritor inglês J. R. R. Tolkien.sendo denominada de Folk/Doom Metal.pela sua presensa de vocais rasgados/ guturais e vocais femininos.da vocalista Kaisa Jouki
Após o bem sucedido "...Where Shadows Lies", Tommi Havo foi substituído por Jussi Rautio e então a banda começou a preparar seu novo álbum, intitulado "Sword's Song", lançado em 2002, novamente trazendo grandes hits. Desta vez destacando-se Buccanners Inn e Sons of Riddermark, obtendo boa repercussão.
A banda ainda lançou os discos "Third Age Of the Sun" em 2003 e "Evernight" em 2007.


Membros

  • Kaisa Jouhki - vocais
  • Tomi Mykkänen - vocais
  • Jussi Rautio - guitarra
  • Jyri Vahvanen - guitarra
  • Maria - teclado e flauta
  • Timo Honkanen - baixo
  • Henri Vahvanen - bateria


Discografia

  • ...Where Shadows Lies (2002)
  • Sword's Song (2003)
  • Third Age Of The Sun (2005)
  • Evernight (2007)
  • The Last Alliance (2008)
  • Doombound (2011)


Informações retiradas do site: http://pt.wikipedia.org/wiki/Battlelore

© Santuário do Metal - 2012. Todos os direitos reservados.
Criado por: Raquel Alves.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo